segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Sobre valores

Existem coisas que não há como entender. Quantas coisas você já observou, passou, ou presenciou e ao mesmo tempo se perguntou: “Mas como pode isso acontecer”? Eu definitivamente não entendo o mundo, a sociedade, os valores. Não entendo, mas faço parte. Admito. Faço parte porque não há como não fazer, e sim, há como construir conceitos de certo e errado em um mundo errado.

Hoje saindo da Unifra me deparei com um senhor jogado no chão, dormindo no frio, poucas roupas e aparentemente sujo. Duas quadras depois uma senhora com as unhas bem pintadas, casaco de pele com sua cachorrinha saindo do pet shop. A cadelinha tinha até botinha para não se resfriar. O senhor estava de pés descalços e pés rachados. Se você entende o mundo que “cadelinha vale mais que um ser humando”, me desculpe, que diferente que somos.

Comprando um xis (hoje não almocei), três gurias conversavam em alto e bom som. Entre os papos sobre a balada de sábado surge o comentário: “Eu até gosto do fulano, mas o coitado não tem onde cair morto (risadas e mais risadas). Por isso ficarei com o ciclano, odeio andar apé nesse frio)". Como entender o comentário de uma vagabundinha dessas?

Essas duas situações me martelaram a cabeça hoje à tarde. Porque isso acontece? Para mim são os chamados “valores” que fazem a atual realidade. Não pense que é culpa da cachorrinha que anda de pé, gastar com a cachorrinha que anda com as quatro patas no chão. Ela não tem culpa de ter muito dinheiro e pouca cabeça. A realidade de hoje é tão hipócrita que essas mesmas senhoras vão à missa de domingo dizer "Como Eu vos amei, amai-vos também uns aos outros, palavra do Senhor". Patético né?

A situação das gurias na lancheria é mais normal. O mundo é das “aparências” e não dos “valores”. Fato que se constata com essas nulidades. Existe em ambos os sexos algo relacionado a “exibicionismo”. Por diversas vezes vi amigos meus comentando “Quero ficar com a fulana e me apresentar com ela”. Isso quer dizer “se exibir” para os outros ver que o mesmo esta com a “bola cheia”. Mas a um simples detalhe: O coração dele não bate pela “bonitinha com banho de loja” e sim pela simples que é normal, sem muitos adereços, mas com um coração bom.

Essas duas situações não iram mudar, pelo contrario, cada dia mais iram se repetir. Isso é normal no mundo de hoje. Os valores são medidos pela aparência e “ego”, os sentimentos são reprimidos em nome do “status” na frente dos amigos e demais. E isso faz o mundo ficar mais frio, amargo e desumano.

A música diz do Nx Zero, Cedo ou Tarde, diz: “A inveja vai, fazendo as pessoas se odiarem mais”. Isso fruto dos valores de hoje.

--------------------

Depois de muitos textos nesse blog, meus amigos Guilherme e Juliano entraram no mundo da blogosfera. Fico feliz de saber que não sou só eu que escrevo sobre a vida e seus conceitos e que existem pessoas que gostam de expor suas idéias e sentimentos.

Então acesse o Blog do Guilherme e Blog do Juliano.

10 comentários:

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
B'Juliano disse...

É Lucas o peor de tudo é que vivemos sobre essa realidade!

É agora entramos no mundo do Blog! ;)

Conta sempre cmg veio!

B'Juliano disse...

Esses anonimos ai são tão gente que nem mostra a carinha mostra! GARANTO QUE É PLAYBOYZINHO OU UMA PATYZINHA!

OTARIO(a) SEM MAIS!

Lucas Machado disse...

"No anonimato cagão vira homem, puta vira exemplo" Que diferente que somos!

Fabi disse...

o "tiozinho" devia ta aquecendo o lugar desse anonimo pobre de espirito isso sim... pq não se pode esperar futuro muito distante desse pra esse tipo de gente.. anonimo terá um futuro tão grande quanto a coragem que faltou pra se identificar!

Ana Paula De David disse...

Adoro ler o que tu escreve, tem muita gente "mesquinha" e que se acha precisando ler isso pra poder parar e REFLETIR pelo menos (mas vivemos em um mundo capitalista e de cheio de desigualdade INFELISMENTE). Aguardo o próximo post ;)

Jeferson de Araujo Zorzo disse...

Mto bom texto lucas, acredito que este mundo de desigualdade tende a piorar a cada dia. Como colegas podemos notar isso em nossa sala de aula, enquanto alguns ralam o mes inteiro pra poder pagar a faculdade e sair uma ou duas vezes no mes outros chateados por não terem o carro do ano.
Acredito que não podemos julgar as pessoas pelos seus atos apenas podemos aproveitar o que vivemos para não cometermos os mesmo erros.

Bom.. Parabens pelo blog e continue escrevendo.

Abraço do teu amigo Zorzo

Thami disse...

aaee guri! :D
Parabens! muito bom.. realmente os valores hoje em dia estão destorcidos mesmo... mas ah excessões.. Pessoas que ajudam e que ainda preservam seus valores.. e é essas que realmente valem a pena de conviver!
beijo querido
Parabens pelo texto! :)

ana caroline disse...

Parabéns pelo blog e pelo conteúdo dele!
Bom, hoje a realidade é essa a inversão de valores como algo comum e cotidiano, fazemos parte disto também. Cabe a nós nos policiarmos para não cairmos na asneira de ter estes mesmos pensamentos ou cometer esses erros com pequenas atitudes. O bom de ver essas cenas é parar para pensar e nos analisarmos tb.

beeejo!!

Thiagão disse...

Olá Lucas!

Penso que essa massificação cultural está atingindo seu objetivo:a alienação. Há muito tempo sou considerado desumano por reprovar a humanização de animais. Tratá-los melhores que um ser humano tornou-se chique! A descartabilidade e a sensação de que tudo pode ser comprado, é visto em relacionamentos, como você escreveu no texto de hoje. Essa futilidade é tida como um ideal, um bom exemplo, que quem estiver fora dessa conduta, não será aceito no grupo. Na Educação Básica, ninguém busca desenvolver conhecimento e, sim, apenas, quando muito, a informação! É o macete para a prova! É a nota! E quando crescidos, buscarão em vão satisfazer o vazio que habita o seu ser, pois a essência da vida está no SER e, não no TER!

Parabéns pelo texto!

Abração.